quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Recuperação judicial da PDG até o fim do ano de 2016

 

Incorporadora PDG deve pedir recuperação judicial até fim do ano, diz jornal


Incorporadora PDG deve pedir recuperação judicial até fim do ano, diz jornalSegundo o jornal O Estado de S. Paulo, a PDG, uma das maiores incorporadoras do país, deve pedir recuperação judicial até o final do ano. Com grande prejuízo e dificuldades para vender R$ 2,7 bilhões de imóveis em estoque num mercado retraído, a empresa já estaria em negociação com uma empresa de reestruturação financeira. A reportagem diz ainda que a empresa também estaria em conversas avançadas com um assessor para ajudar na gestão e na reestruturação dos débitos no âmbito da recuperação judicial. A empresa é assessorada pelo escritório E. Munhoz Advogados.

Depois de fazer aquisições na década passada, a PDG surgiu como potência imobiliária e abriu capital em 2007. Em 2010, comprou a Agra, comandada pelo investidor espanhol Enrique Bañuelos –, assumindo a liderança do setor. Segundo a publicação, já em 2012, no entanto, o negócio já enfrentava uma crise e começava a frear investimentos. Depois disso, atraiu investimento da Vinci Partners, que fez uma capitalização no negócio de R$ 483 milhões, em 2015.

Ainda de acordo com o Estado de S. Paulo, as mudanças de estratégia e os novos investimentos, porém, não teriam surtido o efeito necessário. A PDG tem tentando vender seus estoques e fez cortes profundos na operação – só nos 12 meses de 2015, o total de funcionários da empresa foi reduzido em 60%, para um total de 1.175. Mas os resultados não mostraram reação: o prejuízo acumulado no primeiro semestre de 2016 atingiu R$ 1,15 bilhão, alta de 192% em relação ao mesmo período de 2015.

1 comentários:

  1. Avisei; sem atender bem e encantar os clientes, nenhuma empresa pros pera.

    ResponderExcluir