quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Previdência privada cresce

16/02/2011 - 15h52

Previdência privada cresce 18% em 2010, para R$ 46 bilhões

DE SÃO PAULO

O mercado de previdência privada no Brasil cresceu 18,8% em 2010, com arrecação de R$ 46 bilhões em novos depósitos, de acordo com dados da Fenaprevi (Federação Nacional de Previdência Privada e Vida) divulgados nesta quarta-feira.

Nesse período, o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre), arrecadou R$ 36,7 bilhões, alta de 21,6% em relação aos números de 2009. De acordo com a entidade, o produto se popularizou por ser indicado ao investidor que não declara imposto de renda pelo modelo completo. O VGBL é um seguro de vida com caráter previdenciário por possuir cobertura por sobrevivência.

O PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), por sua vez, cresceu 16,6%, com arrecadação de R$ 6 bilhões. O plano é voltado para quem utiliza o modelo completo da declaração anual de ajustes do imposto de renda e permite deduzir até 12% do montante a ser pago à Receita Federal.

Já os planos tradicionais totalizaram aportes no valor R$ 3,2 bilhões no período. Outros produtos de previdência (FAPI, PGRP e VGRP) arrecadaram R$ 15,9 milhões.

No ano passado, os planos individuais tiveram aumento de 27,3% nos aportes, para R$ 39,1 bilhões, enquanto os empresariais registraram alta de 16,42% e arrecadação de R$ 5,4 bilhões. Já os aportes para os planos para menores registraram R$ 1,4 bilhão.

O volume da carteira de ativos registrou expansão de 21,97% em comparação ao ano anterior totalizando R$ 223 bilhões.

As seguradoras administram atualmente 12 milhões de contratos ativos. Segundo o balanço do setor, o número de titulares de planos que já usufruem de aposentadoria privada chegou a 77 mil em dezembro de 2010, marca 0,34% superior a registrada no mesmo período de 2009.
RANKING

A Bradesco Vida e Previdência liderou o ranking de captação em 2010, com 31,18% do total dos aportes arrecadados, seguido pela BrasilPrev (21,05%), Itaú Vida e Previdência (19,04%), Santander Seguros (10,82%), Caixa Vida & Previdência (7,31%), HSBC Vida e Previdência (4,16%), Safra Vida e Previdência (1,15%), Icatu Hartford (0,96%), Sul America Seguros e Previdência (0,83%), Porto Seguro (0,55%). As demais operadoras somam, no total, 2,95% da arrecadação de aportes.

DÉCADA

Os dados da Fenaprevi mostram ainda que os planos de previdência privada tiveram expansão de 630% entre 2001 e 2010, passando de aportes de R$ 7,3 bilhões para R$ 46 bilhões. "A estabilidade econômica e a modernização dos produtos trouxeram uma nova perspectiva para os brasileiros no desenvolvimento da cultura da formação de poupança doméstica de longo prazo", afirmou a entidade.

Além disso, a participação do segmento no PIB (Produto Interno Bruto brasileiro) passou de 0,82% em 2001 para 1,45% em 2010.

O crescimento experimentado na década garantiu ao segmento uma maior participação no mercado segurador brasileiro (ramos elementares, automóvel, capitalização, seguro de vida/acidentes pessoais e saúde). Enquanto que em 2001, a arrecadação do segmento representava apenas 21% do total da indústria, em 2010, a participação saltou para 37%.

0 comentários:

Postar um comentário