segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Atropelador presta depoimento

Atropelador de ciclistas diz que acelerou para evitar linchamento

GRACILIANO ROCHA
DE PORTO ALEGRE

O bancário Ricardo Neis, 47, que atropelou dezenas de ciclistas em Porto Alegre, disse nesta segunda-feira à Polícia Civil que acelerou o carro contra a multidão para "evitar ser linchado". Pelo menos 16 pessoas foram atropeladas --8 delas foram parar no hospital com cortes e fraturas. O episódio aconteceu na sexta-feira (25) à noite. 

Na versão que apresentou à Polícia Civil hoje à tarde, o bancário alega que estava na companhia do filho de 15 anos e que os ciclistas começaram a bater no carro. "Durante todo o caminho, eles foram batendo no carro. A partir de um momento, vi uma brecha e passei um pouco de alguns deles [ultrapassou], eles se enfureceram e começaram a agredir violentamente o carro. Quebraram o espelho, deram vários socos, jogaram a bicicleta por cima", acusou.


Ele diz que arremeteu com o carro contra os ciclistas por medo. "Naquela situação, eu me desesperei e tinha que sair dali o mais rapidamente possível para evitar o linchamento",  afirmou à imprensa, na saída da delegacia. 

Após ser ouvido, na companhia de dois advogados, o atropelador foi liberado pela polícia. O delegado que investiga o caso, Gilberto Almeida Montenegro, não quis dar entrevista. A Polícia Civil não informou como vai enquadrar criminalmente a conduta do motorista. Ele pode responder por lesão corporal ou por tentativa de homicídio contra os ciclistas.

0 comentários:

Postar um comentário