segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Governo quer acesso de jovem à vacina contra hepatite B

08/10/2010 - 19h50 / Atualizada 08/10/2010 - 20h29


São Paulo - O Ministério da Saúde recomenda facilitar o acesso de adolescentes à vacina contra hepatite viral B, transmitida pelo sangue, esperma e secreção vaginal. Comunicado de hoje do ministério diz que não há necessidade de autorização dos pais para que os filhos participem da imunização.


No caso de vacinação em escolas com alunos menores de 18 anos de idade, os pais devem ser avisados sobre a importância da estratégia, o dia e a hora da ação, segundo o governo. "É recomendável que os adolescentes portem o cartão de vacina, para que a equipe de profissionais de saúde possa avaliar a melhor conduta a ser tomada e marque as datas das novas doses, para os não imunizados", informa o Ministério da Saúde.


A medida está amparada no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que tem um capítulo específico sobre o direito à saúde, por meio de ações prioritárias, como a vacinação. O ECA também diz que os adolescentes são responsáveis por seus atos quando a procura é espontânea, desde que devidamente orientados pelos profissionais de saúde.


O governo informa que a imunização contra a hepatite B é uma das principais medidas de prevenção contra a doença. Após três doses, mais de 90% dos adultos jovens e 95% das crianças e adolescentes ficam imunizados.


Equipe AE

0 comentários:

Postar um comentário